Ética e Integridade

É um imperativo moral – e um fator decisivo para a continuidade dos negócios – que os líderes das empresas promovam uma cultura de integridade, em que as pessoas pratiquem a confiança, o respeito e a solidariedade.

  1. Vivenciar no processo decisório os valores previstos em códigos de conduta e políticas, conferindo caráter estratégico ao sistema de compliance (conformidade).
     

  2. Garantir por meio de atitudes e medidas de conscientização que líderes e colaboradores fundamentem suas decisões com base na identidade da empresa (propósito, missão, visão, valores e princípios) e compreendam como seus comportamentos diários podem impactar a organização e a sociedade.
     

  3. Implantar processos seletivos e programas de incentivo que reconheçam líderes empáticos – que demonstrem capacidade de escuta ativa, vontade de servir, liderança horizontal, colaboração e abertura ao dissenso – a fim de promover o equilíbrio e a equidade entre os colaboradores e assegurar uma pluralidade de vozes em cargos gerenciais e, principalmente, na liderança executiva e no conselho de administração.
     

  4. Criar um ambiente de confiança e segurança psicológica para que as pessoas possam divergir entre si, apontar erros e irregularidades, manifestar dúvidas e preocupações e oferecer suas contribuições abertamente.
     

  5. Propiciar uma experiência educadora para que todas as pessoas que se relacionem com a empresa possam ser transformadas e incentivadas a transformar sua realidade, impactando o entorno organizacional de maneira positiva.
     

  6. Zelar para que os relacionamentos da organização com seus colaboradores, clientes, fornecedores, sócios e demais partes interessadas sejam baseados nos mais sólidos princípios de integridade, principalmente aqueles entre o público e o privado, visando o aumento da confiança e da transparência entre as partes em prol do bem comum.